junho 11, 2007

1 MINUTO DE SILÊNCIO

Apenas 1 minuto...

Não haverá esse tempo pra sua despedida,disse o poeta em meio a escuridão de um quarto,repleto de monstros ao seu redor,a onde ele frustrado prepara sua mente para sua sobrevivência.
Ele canta,como se estivesse com fúria,revolta,vejo nele apenas um simples "Rapper",mas com suas palavras percebo a sua diferença,como tudo no universo tem a sua forma e cor.
Formas que geram mudanças,cores que mostram a simplicidade de uma etnia,natureza,enfim vidas.Ele ainda fala sobre os seus pensamentos,seus sentimentos atormentáveis,peço licença pra expor alguns pensamentos,algumas palavras,ele ri...
Eu pergunto a ele o porque da risada?
Ele fica mudo durante 1 minuto,anciso de pensamentos,olha nos meus olhos,como se estivesse me testando,e me fala:
"Homem humilde,isso é pra poucos,pois vejo a humildade somente quando somos pobres,quando não temos nada,ai é fácil falar que é humilde,mas quando vivemos no maior ambiente de poder,(risos)...só lamentos,a humildade não existe."
Por um momento fiquei analisando suas palavras,e ele falou a pura realidade do mundo em que vivemos cercado de ostentação e ganância,citando os dois lados da moeda,o valor das coisas.
Um silêncio mútuo é jogado no vento...
O ambiente parece uma mesa de xadrez,a onde as palavras são bem jogadas,bem compreendidas,um jogo de pensamentos,começo a ver que aprendemos muito com o próximo,na verdade desde pequeno soube que podemos evoluir como pessoas,através de pessoas com um nível intelectual audacioso.
Mas meu pensamento foi interrompido,por algumas tosses secas,o poeta não mostra o rosto,continua escondido em meio a sombra,acho estranho... mas respeito essa postura,chego até mesmo me ver daquela forma,mostrando que a noite é a sua verdadeira aliada em meio a solidão de pensamentos.
Pergunto se está tudo bem,ele me diz que sim,pra não me preocupar,me fala que é apenas o mal tempo,digo que tudo bem então.
Ele me pergunta se eu estava analisando todo o tempo que ficamos conversando,se estava prestando atenção no tempo e dando o devido valor pelo que ali estava sendo falado.
Respondi,que sim,sempre devemos prestar atenção em tudo ao nosso redor,pois falei a ele que não podemos fechar os olhos...
Ele me entende respondendo "Certo".
Percebo que o silêncio volta ao ambiente,olho para um espelho que tinha no canto daquele quarto,olho a minha face,e me vejo velho,me vejo poeta...simplesmente um homem sábio,devido a qual sabedoria deve ser oculta naquele momento,volto a perceber que estava sozinho,pois o poeta havia morrido,após 1 minuto do meu silêncio.

Nenhum comentário: