março 19, 2009

OBSERVANDO

Em algum lugar de São Paulo,reunidos num bar quatro rapazes começam a comentar sobre o dia a dia,assuntos nos quais referente a família,trabalho,faculdade,mulheres,futebol,revoltas,sonhos e logo em seguida deixam no ar alguns outros sorrisos adormecidos,após alguns goles de cerveja,vodka,uísque e redbull,além da famosa caipirinha.A dificuldade da vida se torna a amiga ignorada pela loucura,as drogas passam a ser um dos assuntos principais,claro além das baladas e a sua noite hospedeira do sexo.Pois agora chegaram três garotas cheias de simpatia,intuição aguçada,olhares penetrantes e roupas atraentes.Os playboys ostentam carros,aumentam o som,usam roupas de marca,pensam em o que o dinheiro pode comprar,a viajem para o exterior que pode ser realizado,a praia em que pode relaxar,esquecer dos problemas e no que o papai pode ajudar.
Em meio à toda aquela rotatividade na frente do bar passa a se destacar um rapaz magro,de pele parda,sem muitos amigos,trajes simples,assim como sua postura.Mas isso não chega a ter tanta importância para os outros até o momento,mais sim pra ele mesmo que acuado somente observa tudo aquilo ligeiramente.Ele está acostumado a ver outros tipos de bares,aqueles que tem um monte de tiozinho embriagado,triste,desiludido pela atual vida que levava e por não ter uma vida tão favorável como sonhava em sua mocidade,mais ainda continuam sonhando e na mesa de pilhar derrubando a bola 8.Os cães correndo pra cima e para baixo,as crianças jogando bola e fazendo grandes jogadas no ritmo da batucada e eternizando o samba pelos quatros cantos,a polícia filmando tudo,enquadrando.Enfim tudo tem o seu lado de alegria.Já aquela realidade estava contemplando o seu universo psicológico com o início do glamour,dos convites de freqüentar bares aconchegantes e ao anoitecer presenciar realmente o outro lado,sabor.Além de muitos outros sorrisos que retornam com mais força e até mesmo pensamentos ideológicos e discussões.
Dentro do bar está totalmente lotado porque fica próximo a faculdade,o samba não chega a ser tão forte,as pessoas tem outras visões,culturas e intenções.A polícia está sempre por perto,mas agora desde lado eles protegem de forma visivelmente correta e não agredi de forma violenta.Os donos dos bares se sentem mais seguros pois não passam a ter tantos problemas quando alguém fica altamente embriagado,além de qualquer violência que possa ocorrer e prejudicar a sua freguesia e seus negócios.E isso o rapaz simples observa rapidamente,mas é interrompido num piscar de olhos pois uma garota se aproxima e pergunta o seu nome.

Ele sem perder tempo responde. Me chamo Tito.

Ela acha engraçado e responde com um sorriso no rosto que aquilo não era nome e sim apelido.Com um sorriso solto ele apenas afirma que é sim e pergunta o nome daquela linda menina.Porém ela ficou apenas sorrindo e deixou em segredo por alguns instantes.Então ele convidou ela para beber algo,ela aceitou e em seguida chegou alguns amigos dela e apresentou-o como seu amigo.Eles tiveram uma ótima conversa e passaram a se conhecer,trocaram muitas informações,além de particularidades.A felicidade no rosto dos dois era um mundo paralelo de toda aquela realidade vista pelo rapaz em alguns minutos atrás.Para ele não tinha mais importância as pessoas que estavam no bar e quem ele tinha observado e nem qualquer sinal de ostentação e a vida que ele levava longe dali e sim,simplesmente como um presente do destino somente aquela garota linda,com um sorriso tímido e voz calma e um olhar impecável.As horas passaram e dali em diante eles passaram a se encontrar em muitos outros lugares.Dividiram sonhos,tristezas,todos os desejos.Teve em cada despedida o seu nome como lembrança e companhia eterna.Que com amor deixou o seu nome na natureza e com a força implacável que nada poderia destruir o seu novo sentimento.O bar esvaziou o seu ritmo passou,as luzes se apagaram e a noite deve outra história de amor em meio a realidade.

Nenhum comentário: